Orientações para a introdução das refeições sólidas para os bebês

Esquema alimentar no 1O ano de vida

A partir dos 6 meses, deve-se começar a introdução de novos alimentos, sem, no entanto, abandonar a amamentação. Esse processo deve ser feito de modo gradativo, pois só após os 4 (caso a mãe tenha que retornar ao trabalho) ou 6 meses é que o sistema digestivo está pronto para receber outros alimentos além do leite materno.

Na primeira semana, comece a introduzir as papinhas de frutas no intervalo das mamadas da manhã, na quantidade que o bebê aceitar. Não é necessário adicionar açúcar, o melhor é habituar a criança com os sabores das frutas. Na segunda semana, introduzir as papinhas no intervalo das mamadas da tarde.

Na terceira semana, é o momento de oferecer a papa salgada do almoço e na quarta semana, a papa do jantar. É importante observar a aceitação do bebê para que não se exclua precocemente as mamadas que eram oferecidas nos horários das refeições salgadas, pois cada criança tem um ritmo de aceitação. Você pode oferecer também suco de fruta natural alguns minutos após o almoço.

 

Dicas

  • O bebê pode comer todo tipo de fruta ou tomar qualquer suco, o processo de aceitação é demorado, por isso é importante oferecer diversas vezes um mesmo alimento até que ele seja aceito. Quanto aos sucos, se possível, prepará-los na centrífuga, pois o aproveitamento é muito grande, proporcionando maior oferta de fibras.
  • A papinha salgada deverá conter uma raiz ou um tubérculo, dois legumes, uma folha e carne (bovina ou frango).
  • É aconselhável oferecer macarrão, arroz e fubá após a introdução e aceitação das papinhas no almoço e no jantar, o geralmente acontecerá após o sétimo mês. Além disso, ao introduzir esses alimentos, dê preferência aos integrais.
  • Você não precisa utilizar temperos para preparar as papinhas, o que favorecerá o reconhecimento do alimento e a aceitação. Se você optar em utilizar temperos, use pequenas quantidades de óleo, sal e cebola.
  • Coloque um fio de azeite na papinha, antes de servi-la.
  • Os alimentos podem ser cozidos todos juntos, sob pressão. Geralmente 15 minutos na pressão, com quantidade de água suficiente para cobrir os legumes, são suficientes para se obter uma boa consistência da papinha.
  • Não bater a papinha no liquidificador, pois a papa liquidificada não estimula a mastigação e nem permite que a criança aprenda a conhecer os diferentes sabores.
  • As papinhas salgadas podem ser congeladas por até três meses, esse processo de conservação mantém as características nutricionais dos alimentos, desde que sejam tomados alguns cuidados no procedimento de preparo:

Choque térmico: Após o preparo, a papinha deve ser colocada, ainda quente e na própria panela, num recipiente com gelo, o que pára o cozimento e impede que ela seja contamina por microorganismos. Quando não se faz o resfriamento de forma rápida, o alimento irá demorar para atingir uma temperatura adequada para ser colocado no freezer e é justamente neste momento, onde a temperatura não é elevada e nem baixa, que os microorganismos mais se reproduzem.

Porções individuais: Após resfriada, a papinha deve ser colocada em porções que dêem para uma refeição do bebê, num recipiente pequeno, de modo que não sobre espaço. Feche em seguida (retire o ar) e leve ao freezer. Esse procedimento evita o excesso de ar, que prejudica a qualidade da papinha.

Descongelamento: Descongele naturalmente na geladeira e, em seguida, coloque numa panela no fogo convencional. Não deixe a papinha descongelando em temperatura ambiente, pois a temperatura será reduzida gradativamente, sem controle. Esse processo facilita a contaminação de microorganismos.

 

Sugestões de Papinhas

1 raiz, uma carne, 1 folha e 2 legumes

 

  1. Batata, frango, espinafre, cenoura e chuchu
  2. Mandioca, carne moída, couve, beterraba e abobrinha
  3. Mandioquinha, músculo, acelga, abóbora e chuchu
  4. Inhame, carne, chicória, abóbora e abobrinha

 

São apenas alguns tipos de papinhas que você pode variar conforme a regrinha acima.

 

 

 

Priscila Von Zuben Tassi

Nutricionista

CRN 11.121

Leia Mais